Avançar para o conteúdo principal

História do Hino do Benfica

Hino do Benfica

A popularidade do Benfica fazia com que a exibição pública do Hino se confundisse com o Avante pelo Comunismo. E por vezes (ao que se dizia) havia quem o cantasse de punho fechado erguido ao alto. 

Para evitar "confusões" o Ministério do Interior, no início dos anos 40, em plena Segunda Guerra Mundial, "solicitou" aos dirigentes do Clube que evitassem a exibição pública do Hino. Para "evitar aproveitamentos políticos". 

Hino que foi sendo cada vez menos cantado em cerimónias do "Glorioso". Até porque nunca o foi muito... A ideia de Félix Bermudes foi solicitar ao maestro Alves Coelho (pai) que fizesse uma composição mais intimista para que os Benfiquistas (em particular os atletas) nele se inspirassem em momentos de maior dificuldade! Para recuperarem energia, vigor e Mística!

A letra do Hino do Clube, da autoria de Félix Bermudes, feito para assinalar as comemorações das Bodas de Prata (1929) nada tem a ver com o Comunismo! A palavra 'Avante' para Félix Bermudes estaria relacionado com o termo Avanti! do Futurismo criado por Marinetti alguns anos antes.

SER BENFIQUISTA

Uma canção que ganhou estatuto como um «hino»
Data: 1953 - Letra e Música: Paulino Gomes Júnior - Interpretado pelo tenor Luís Piçarra.

Já em contagem decrescente para as comemorações do meio-século de existência, o director do Jornal "O Benfica" fez uma letra e música brilhantes que foram interpretadas pelo tenor Luís Piçarra, em 11 de Abril de 1953, no II Sarau Artístico, no Pavilhão dos Desportos, uma das inúmeras iniciativas do Clube para angariação de verbas destinadas a poder erguer a "Saudosa Catedral" sem custos onerosos para o futuro do "Glorioso". O brilhantismo da interpretação de Luís Piçarra tornaram o tema muito popular e acarinhado pelos Benfiquistas. Que foi depois a «canção Benfiquista do ano em 1954», nas comemorações do 50.º aniversário, com interpretação do nosso Orfeão, no Coliseu dos Recreios.

Com as características intimistas do Hino, o facto do Benfica ser "aconselhado" a evitar entoá-lo publicamente por muitas vezes, para alguns "cantantes" o "Avante Pelo Benfica" ser alterado para "Avante pelo PêCê" ou "Avante pelo Comunismo", para além do brilhantismo da interpretação de Luís Piçarra bem como a letra simples e identitária entre os Benfiquistas levou muitos a entoá-lo tanto (e com tanto gosto) que passou a "Hino Oficioso". Ainda hoje é assim. Atente-se!

Alberto Miguéns

Hino do Sport Lisboa e Benfica

Todos por um, eis a divisa
Do velho Clube Campeão,
Que um nobre esforço imortaliza
Em gloriosa tradição.

Olhando altivo o seu passado
Pode ter fé no seu futuro,
Pois conservou imaculado
Um ideal sincero e puro.

Avante, avante p'lo Benfica
Que uma aura triunfante Glorifica,
E vós, ó rapazes, com fogo sagrado
Honrai agora os ases que nos honraram o passado.(x2)

Olhemos fitos essa Águia altiva
Essa Águia heráldica e suprema,
Padrão da raça ardente e viva
Erguendo ao alto o nosso emblema.

Com sacrifício e devoção
Com decisão serena e calma,
Dêmos-lhe o nosso coração
Dêmos-lhe a fé, a alma.



letra: Félix Bermudes;  música: Alves Coelho;  Interpretação: Orfeão SLB;  Composto por ocasião do 25º aniversário do Clube (1929)